[Imprimir]

A UTAD assinalou no dia 20 de março, com a solenidade habitual, o seu 29º aniversário. Entre as numerosas personalidades convidadas, destacou-se a presença do Secretário de Estado do Ensino Superior, José Ferreira Gomes.

O reitor da UTAD, Fontainhas Fernandes, abriu a sessão solene na Aula Magna com uma intervenção muito voltada para os desafios que a Universidade tem pela frente nos tempos mais próximos, sem deixar de assinalar a necessidade de um desagravamento da centralização das grandes decisões no país, reclamando mais respostas para os territórios de baixa densidade. “Os resultados das avaliações das unidades de investigação conhecidas no final de 2014 agravaram o problema da centralização, também ao nível da ciência, concentrando massa crítica nas zonas de maior dinamismo deste Portugal”, lembrou o reitor, para realçar que “esta situação é claramente inibidora do desenvolvimento das instituições com redes menos densas, não obstante a sua qualidade e o seu inquestionável contributo para o desenvolvimento do território”. Fontainhas Fernandes mostrou-se, por outro lado, confiante nos efeitos aguardados da “estratégia Portugal 2020” na implementação de uma nova visão global, pois sem ela, “a coesão do país está em causa e os custos da aglomeração serão certamente muito superiores aos respetivos benefícios”.
Ideia consonante foi manifestada pelo Presidente do Conselho Geral da UTAD, Silva Peneda, ao intervir na mesma sessão, e sublinhar a necessidade de “uma discriminação positiva” para o interior. “O país não é uma tábua rasa – afirmou. – As políticas regionais têm o seu lugar e só se justificam se forem medidas de discriminação positiva em relação às zonas mais desprotegidas (…). Se o interior do país estiver bem, o país no seu todo estará muito melhor”.
Na sessão solene intervieram ainda o Presidente da Associação Académica da UTAD (André Coelho), o representante da Direção-Geral Research & Innovation da Comissão Europeia (João Albuquerque Silva), e a presidente da European University Associatio (Helena Nazaré), que proferiu a oração de sapiência intitulada “Universities and Researches Europe 2020”, encerrando as intervenções o Secretário de Estado do Ensino Superior, Ferreira Gomes. Este governante louvou a capacidade da UTAD na sua “estratégia de diálogo com a região, com as empresas e com todos os agentes para construir novos objetivos”. Reconheceu o sucesso do plano “Mais Superior” para o ensino nas regiões do interior, anunciando que vai ser ainda melhor ajustado às necessidades a partir das experiências do primeiro ano.
A sessão solene teve ainda como momentos marcantes a atribuição dos prémios escolares aos melhores alunos, o prémio de “Mérito Científico” a Rui Cortes (professor catedrático investigador do Departamento de Ciências Florestais e Arquitectura Paisagista) e o prémio de jovem investigador, ex-aequo, a Regina Arantes Rodrigues e Rui Marcelino Oliveira (respetivamente do CITAB e do CIDESD). Após a cerimónia, foi inaugurada a exposição do artista plástico Mário Vitória, na galeria da Biblioteca Central.