[Imprimir]
 Fotos: Direitos Reservados
Decorreram, entre os dias 29 e 31 de Maio de 2015, os Encontros da Primavera. Nesta que foi a sua décima edição numa organização conjunta da Frauga, Associação Para o Desenvolvimento Integrado de Picote, e da UTAD. Depois de nove anos em Miranda do Douro, o evento mudou-se este um pouco mais para Sul, para o Ecomuseu Terra Mater em Picote, tendo como tema do seminário científico “A antropologia e os desafios societais do presente e do futuro I: Territórios do interior, seus recursos e suas transformações”. 
Com este seminário iniciou-se um ciclo que se espera ser de reflexão permanente sobre os desafios societais do presente e do futuro, tendo por contextos de observação privilegiados (mas não únicos) os dos territórios do interior de Portugal, ou os também denominados territórios de baixa densidade.
Não nos podemos esquecer que a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro esteve durante 11 anos em Miranda do Douro e que muitos investigadores de várias áreas científicas e departamentos continuam a realizar projectos de investigação nesta área territorial e/ou sobre temas que muito interessam localmente.
O projeto estratégico fundador da UTAD alicerça-se, aliás, na responsabilidade de contribuir para o desenvolvimento local e regional traduzido no pressuposto do ‘fazer território’, do reduzir assimetrias à escala nacional e da difusão da cultura, da ciência e da tecnologia. Xerardo Pereiro, Humberto Martins, ambos docentes e investigadores do CETRAD, Santiado Prado Conde, da Universidade de Santiago de Compostela, e investigador do CETRAD e Luís Cunha, da Universidade do Minho apresentaram comunicações.
Foram ainda apresentados 3 livros, um dos quais organizado por um dos investigadores do CETRAD, Olhares e Ofícios dos Antropólogos em Espanha e Portugal (Humberto Martins e Jean-Yves Durand orgs.) e mostrados 4 documentários; Memórias e um Rio de Octávio Sacramento e Humberto Martins, A Construção de Gonçalo Mota, Além da Sala de Espera de José Paulo Santos e Cinzas, Ensaio sobre o Fogo, de Pedro Flores, contando com a presença dos realizadores. Finamente, uma referência aos ‘sentidos’ com as conversas ao luar, a visita nocturna ao Miradouro da Fraga do Puio e a caminhada pelo Trilho das Eiras. Para o ano há mais – anunciando-se como tema ‘Imagens do turismo do mundo rural português’.