[Imprimir]

 ​Castanheiro fortemente atacado pela doença da tinta provocada pelo oomiceta Phytophthora cinnamomi.
 
Considerada uma árvore multifuncional, o Castanheiro é uma espécie que tem voltado a assumir um carácter importante na fixação das populações rurais do interior. Após o bem sucedido protocolo com o Município de Sernancelhe, concluído em 2014, o “Grupo do Castanheiro” da UTAD iniciou em 2015 duas novas parcerias com mais dois concelhos pertencentes à DOP “Castanha dos Soutos da Lapa”. O grupo de investigadores da UTAD é constituído pelos Professores José Gomes-Laranjo, Fernando Raimundo, Jorge Ferreira-Cardoso, Teresa Pinto, Luís Martins, Rosário Anjos, Guilhermina Marques, Paulo Russo Almeida e Maria João Gaspar.
 
No protocolo instituído para o concelho de Aguiar da Beira, que inclui o Município, a União de Freguesias de Aguiar da Beira e Coruche e a Arbofruti, com uma duração de 60 meses, pretende-se promover o aumento da área de souto nesse concelho. No protocolo, com​ duração de 36 meses, estabelecido com o Município de Trancoso, um dos concelhos com maior área de produção de castanha do País, o objetivo é a formação dos produtores visando a renovação dos soutos.
Estes protocolos compreendem uma grande adesão por parte das populações locais, visto estarem envolvidos em cada um deles cerca de 100 produtores, o que constitui uma excelente oportunidade de afirmação da excelência da UTAD nestes domínios. Estas parcerias, assentam na constituição de unidades de demonstração, com potencial para a realização de trabalhos experimentais, permitindo, designadamente, dar continuidade aos ensaios com o ColUTAD, um porta-enxerto híbrido desenvolvido pela UTAD e que pode representar uma mais valia na tentativa de erradicação da doença da tinta que tanto afeta o castanheiro. De salientar ainda, que estes protocolos permitirão também o financiamento de bolsas de estudo para alunos de mestrado da UTAD.