[Imprimir]
 
Investigadores da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) confirmaram, recentemente, a presença de Vespa velutina, vulgarmente conhecida por “vespa asiática”, na região de Vila Real.
“No decorrer de trabalhos no apiário da UTAD, um aluno de mestrado capturou dois exemplares de vespa e, após observação, confirmou-se que se tratava de vespa asiática, uma rainha e uma obreira mais concretamente. Não há dúvida sobre a presença desta espécie em Vila Real, à semelhança de outros locais na região norte do país”, afirma o investigador especialista em apicultura da UTAD, Paulo Russo Almeida.
Com o intuito de mobilizar os apicultores, a Proteção Civil, e a população interessada em ações concertadas de combate a esta praga, o Laboratório Apícola do Departamento de Zootecnia da Escola de Ciências Agrárias e Veterinárias da UTAD, LabApisUTAD realizou  a 5 de Dezembro, um Workshop intitulado “Estratégias de Combate à Vespa velutina” na UTAD.
“Dada a ação destrutiva que esta espécie exerce sobre as colmeias de abelhas melíferas, e o perigo que pode constituir para a saúde pública, o que suscita preocupação a apicultores, investigadores, técnicos, agentes da Proteção Civil, pensámos que a melhor forma agir seria dar formação sobre estratégias de combate”, sublinha o investigador.
Assim, neste workshop, que contou com a presença de cerca de 100 apicultores, elementos da Proteção Civil de Vila Real, investigadores da UTAD e técnicos esclareceram os presentes sobre estratégias de combate. Muito útil foi, também, presença de Marco Portocarrera, o “caçador de vespas” que fez demonstrações de construção de armadilhas seletivas para a Vespa Velutina e da preparação de iscos para travar o avanço desta praga que se julga vá atingir toda a Península Ibérica.
Para mais informações contactar:
Rosa Rebelo | Assessoria de Comunicação | UTAD
259 350 160 | 932 148 809 | rorebelo@utad.pt​