[Imprimir]
 
Decorreu na UTAD, nos dias 6 e 7 de novembro de 2015, o Congresso Ibérico sobre Raças Autóctones) sob o tema ” Raças Autóctones, Economia Local e Paisagem Rural”, que reuniu cerca de 80 participantes provenientes de vários pontos do País  e de Espanha.
O Congresso Ibérico sobre Raças Autóctones foi organizado por três entidades: o Centro de Estudos Transdisciplinares para o Desenvolvimento (CETRAD) e o Centro de Ciência Animal e Veterinária (CECAV), da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), e o Centro Tecnolóxico da Carne (CTC) de Ourense, que se juntaram nesta iniciativa para discutir diferentes aspectos relacionados com a sustentabilidade produtiva, económica e social das raças autóctones e com a valorização dos seus produtos. O evento foi apoiado por uma Comissão Científica também ela de cariz internacional, e contou com o apoio de diversas entidades associadas (incluindo associações de raças, entidades municipais,entre outras), com o profissionalismo de diversos organismos da UTAD e ainda com vários patrocinadores públicos e privados.
Os tópicos do Congresso foram agrupados em 3 Paineis: Raças autóctones, multifuncionalidade e especialização produtiva; As raças autóctones no desenvolvimento rural; Tecnologia, inovação e mercados. Cada um destes painéis contou com dois oradores que contextualizaram os temas a desenvolver nas múltiplas sessões temáticas, onde os autores tiveram oportunidade de mostrar o que se faz em Portugal e na Galiza para promover e valorizar as raças autóctones.
Reunidos durante um dia e meio em torno de um tema de crescente relevância na economia regional, este Congresso Ibérico sobre Raças Autóctones revelou-se um sucesso, quer aproximando diferentes intervenientes, quer mostrando a capacidade dos investigadores na resposta às necessidades já identificadas pelo sector, e favorecendo a partilha de conhecimentos.
Mas, o Congresso Ibérico sobre Raças Autóctones não se limitou à apresentação de trabalhos científicos e à partilha de opiniões sobre as raças autóctones e os produtos tradicionais. Os participantes tiveram também a oportunidade de conviver num jantar, que decorreu no final do primeiro dia de trabalhos, e que foi “entusiasticamente animado pela Tuna Imperialis”.
Livro de atas [VER]
Objetivos do Congresso ​[VER​]