Foto: Mochos
[Imprimir]

Devolução à Natureza de Corujas do mato

A 3 de março, foi devolvida à Natureza uma coruja-do-mato (Strix aluco) em Lamares, Vila Real. Esta ave foi vítima de atropelamento no início de janeiro de 2016, tendo sido recolhida e encaminhada até ao CRAS pela empresa Operestradas XXI. Apresentava lesões oculares nos dois olhos e traumatismo craniano. O seu processo de recuperação incluiu tratamento médico e de suporte, alimentação adequada e treino de voo e caça. Verificada a sua boa forma física e acuidade visual, foi devolvida à Natureza na presença de funcionários da Operestradas XXI.

A 6 de março, foi devolvida à Natureza outra coruja-do-mato (Strix aluco) no Miradouro de Nossa Senhora da Piedade, em Sanfis do Douro. Esta ave foi vítima de atropelamento no início de dezembro de 2015, tendo sido recolhida e encaminhada até ao CRAS por um particular que a encontrou nas imediações de Mateus, Vila Real. Apresentava lesões oculares nos dois olhos e traumatismo craniano. O seu processo de recuperação incluiu tratamento médico e de suporte, alimentação adequada, socialização com outros indivíduos da mesma espécie e treino de voo e caça. Após a recuperação da forma física e depois de avaliada a sua capacidade visual, foi devolvida à Natureza em Sanfins do Douro na presença de um grupo de escuteiros”.

As fotografias da devolução já se encontram disponíveis na nossa página do facebook [VER]

Devolução à Natureza de gavião-europeu

A 21 de março foi devolvido à Natureza um gavião-europeu (Accipiter nisus) no Campus da UTAD, no âmbito da atividade “Comemoração do Dia Mundial da Árvore e da Floresta” organizada pela RUPESTRIS. Esta ave ingressou no CRAS com algum grau de desidratação mas sem quaisquer ferimentos ou fraturas. Uma vez recuperada a forma física procedeu-se à devolução deste gavião à Natureza, momento este que foi acompanhado por alguns participantes do evento.

O vídeo da devolução já se encontra disponível na nossa página do facebook [VER]