Foto: Brazil
[Imprimir]

A III Jornada do Brasil, realizada a 26 de maio, dedicou um dia inteiro, não só à cultura brasileira, mas também aos estudantes dessa nacionalidade que realizam a sua atividade (seja de estudo ou de estágio) na UTAD. O dia ficou marcado pela intervenção do ex-embaixador do Brasil na CPLP, Pedro Motta Pinto Colho, que referiu vários aspetos da política externa do Brasil, quer no passado, quer no tempo presente.

Na sua intervenção, intitulada «A política externa do Brasil, hoje: inserção evolutiva no novo contexto mundial ou mera adaptação?», Pedro Motta Pinto Coelho aproveitou para falar da situação de política externa do Brasil, particularmente nos tempos que este país vive atualmente. Durante a sessão, o ex-embaixador tentou mostrar algumas das etapas que caracterizaram esta política, antes mesmo da independência do país. Como sublinhou, “A nossa política externa é um bocado reflexo dessa dimensão do Brasil, da nossa capacidade de estar no mundo, de como nós somos como sociedade, mas também tem um reflexo ligado à nossa herança”.

Ao longo do evento, os estudantes palestrantes expuseram uma variedade de temas ligados ao seu trabalho, desde aspetos da cultura brasileira comparados com alguns da cultura portuguesa, até projetos ou estágios que estão atualmente a desenvolver na UTAD.

De acordo com Filipe Jorge, membro da organização do evento, trata-se de uma iniciativa muito importante, visto que toda a atividade cultural é importante, para que se possam “quebrar paradigmas, modelos e para que a gente se possa conhecer mais”.

Após a segunda parte das palestras, os participantes assistiram ao filme “Casas Bandeiristas”, com os comentários do realizador, Prof. Dalton Sala. Além das palestras, durante o almoço todos os interessados puderam experimentar diversas especialidades da gastronomia brasileira, numa ementa especial preparada para o efeito pelo Restaurante Panorâmico da UTAD.

Possibilidade de ver vídeo brevemente.