Foto: Luzia Oca com um grupo de mulheres cabo-verdianas
[Imprimir]

A antropóloga Luzia Oca Gonzalez, docente do Departamento de Economia e Sociologia da UTAD e investigadora do CETRAD, acaba de ser nomeada para a Comissão Técnica de Igualdade do Conselho da Cultura Galega (instituição consultora e assessora da Junta da Galiza). O Conselho da Cultura Galega é uma instituição estatutária criada pelo Estatuto de Autonomia da Galícia para promover e divulgar a língua e cultura portuguesa e assessorar as administrações nesses domínios. As comissões são órgãos que têm como objeto o estudo de questões específicas e que podem ser técnicas ou temporárias.

O trajeto profissional desta docente da UTAD tem sido marcado pelos seus projetos de intervenção social baseados em perspetivas de género na Galiza e em Cabo Verde. É de assinalar, nesse contexto, a sua recente distinção, na Galiza, com o Prémio Vicente Risco de Ciências Sociais pelo seu trabalho “Cabo-verdianas em Burela (1978/2008): Migração, Relações de Género e Intervenção Social”.

Nota biográfica

Luzia Oca González concluiu Antropoloxía Social pela Universidade de Santiago de Compostela em 2013. É Professora Auxiliar na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Publicou 2 artigos em revistas especializadas, possui 7 capítulos de livros e 1 livro publicados. Possui 7 itens de produção técnica. Participou em 16 eventos no estrangeiro e 4 em Portugal. Recebeu 1 prémio e/ou homenagem. Atua na área de Ciências Sociais com ênfase em Outras Ciências Sociais. Nas suas atividades profissionais interagiu com 11 colaboradores em coautorias de trabalhos científicos. No seu curriculum DeGóis os termos mais frequentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: Cabo Verde, género, intervenção social, migração, violência de género, integração e migración.