[Imprimir]

Fotografia da primeira turma da licenciatura em turismo da UTAD, no Polo de Chaves, no ano 1998-1999.

Introdução                                                                                            

Breve história da licenciatura em turismo da UTAD

A licenciatura em Recreação, Lazer e Turismo foi criada pelo despacho 6843/97 (Diário da República, IIª Série n.º 200 de 30 de agosto de 1997), e entrou em funcionamento, no Polo da UTAD (Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro) na cidade de Chaves, no ano letivo de 1998/1999. A duração do curso era de cinco anos, com uma estrutura curricular baseada em disciplinas semestrais. O 5º ano estava centrado no desenvolvimento de um estágio de práticas em instituições e empresas e no desenvolvimento de um projeto de investigação turística.

No ano 2005, e com o desenvolvimento positivo da licenciatura em turismo, por Aviso nº 4967/2005 foi criado no Polo da UTAD em Chaves o Curso de Mestrado e Pós-Graduação em Turismo, Recursos Locais, Animação e Desenvolvimento que conferia: Grau de Mestre em Turismo (aprovação na parte curricular e na dissertação); Diploma de Pós-Graduação em Turismo (aprovação na parte curricular). Este segundo ciclo iniciou em 2006-2007 a sua primeira edição, tendo sido em 2008 adequado ao processo de Bolonha (Diário da República, 2ª Série, nº 60, 26 de março de 2009) e esteve em funcionamento até 2011, em que não abriu por decisão da direção do curso.

No ano 2008 foi realizado o registo de adequação ao processo de Bolonha (R/B-AD105/08) da Licenciatura, mudando a duração do curso de 5 para 3 anos. Igualmente mudou também a sua designação de “Licenciatura e Recreação, Lazer e Turismo” para “Licenciatura em Turismo”, que é a que hoje em dia está em vigor.

Em 2013 foi remodelado o plano de estudos, atualmente em vigor (https://www.utad.pt/estudar/cursos/turismo/). A partir do ano 2014-2015 o curso deixou de funcionar no Polo da UTAD em Chaves, por encerramento do campus, e passou a funcionar em Vila Real, o campus central e hoje único campus da UTAD. Em 2015 foi publicado em Diário da República o Regulamento da Licenciatura em Turismo da UTAD (Diário da República, 2ª série, nº 43, 3 de março de 2015, pp. 5319-5322), atualmente em vigor.

Os números da Licenciatura em Turismo da UTAD

Os números da licenciatura são:

  • 146 Alunos inscritos (41,4% homens; 58,6% mulheres) em 2018-2019;
  • 5ª melhor média de entrada de todos os cursos superiores de turismo do país em 2017: 14,29; 330 candidatos na 1ª fase para 45 vagas em 2017-18;
  • 33 Docentes (31 doutores; 5 doutores em turismo, 1 doutorando em turismo, mais doutores em gestão e ciências sociais aplicadas ao turismo, mais doutores em línguas, ciências naturais, gestão, economia, engenharia civil…);
  • 650 licenciados em turismo pela UTAD desde 2003.
  • 22 acordos Erasmus com universidades europeias muito importantes.

A identidade diferencial: Estudar turismo na UTAD

A formação em turismo na UTAD é uma formação multidisciplinar ancorada no DESG (Departamento de Economia, Sociologia e Gestão) – ECHS, mas transversal a toda a UTAD, com docentes de praticamente todas as escolas da UTAD. A visão do curso é eclética, polivalente e articulada: humanista, empresarial, gerencial e tecnológica. É uma formação universitária superior orientada ao melhor desenho de produtos e experiências turísticas e à planificação e gestão de empresas e destinos turísticos. Um curso de hospitalidade com identidade territorial: Vila Real, Douro, TMAD, Norte interior, Norte de Portugal, Euro-região Norte de Portugal – Galiza, Noroeste da península Ibérica. Um curso muito ligado ao CETRAD interligando investigação e docência, tornando os alunos investigadores e primeiros recetores do conhecimento dos investigadores seniores. Um curso com estágio curricular integrado e com bom relacionamento com o tecido político-institucional e empresarial. Um curso com uma filosofia focada no turismo sustentável, ético e responsável. Um curso com orientações éticas e com uma participação destacada dos alunos na sua própria formação. Um curso com gestão democrática e etocrática, docentes funcionários e alunos com voz, voto e decisões coletivas para uma melhor governança. Alunos com formação “multibanco”, saberes multidisciplinares, profissionais da hospitalidade, do acolhimento e da interculturalidade. E um corpo docente altamente qualificado e empenhado na formação dos alunos.

O futuro do ensino universitário do turismo na UTAD

A educação turística é um fator que promove o desenvolvimento económico, social e cultural. A formação universitária superior dos trabalhadores e profissionais do turismo é um fator na qualidade do desenvolvimento do turismo. Neste sentido, Portugal é um dos 20 destinos turísticos mais competitivos do mundo, mais concretamente situa-se em 14ª posição (Fórum Económico Mundial, 2017) mas só 12% dos profissionais do turismo têm ensino superior na sua formação (Turismo de Portugal, 2017). A estratégia do país definida pelo Turismo de Portugal para o Horizonte 2027 é aumentar até os 30% o número de licenciados em turismo, uma visão estratégica fundamental para um país de turistores (produtores e gestores de turismo) e com um turismo que contribui decisivamente para a riqueza e bem-estar do país. Enquanto universidade pública, cumprimos com esta formação a nossa missão, missão que vai ser alargada a um mestrado em turismo em cooperação e articulação (bi-titulação) com a Universidade do Minho, com abertura prevista no ano letivo 2019-2020. O nosso grande desafio é continuar a formar profissionais, empresários e técnicos de turismo com uma visão holística que acabem por desenvolver o turismo no Norte interior de Portugal e não apenas, numa relação íntima entre docência, co investigação, partilha de conhecimento e desenvolvimento turístico. Sem estes três vetores o turismo dificilmente atingiria o seu desenvolvimento e o afrontamento das mudanças de ciclo que virão no futuro.

Fonte: Xerardo Pereiro, Ricardo Bento e Elisa Torre – Docentes da Comissão de Curso da Licenciatura em Turismo da UTAD

26 de novembro de 2018