[Imprimir]

O 33º aniversário da UTAD foi celebrado nos dias 21, 22 e 23 de março com a realização de diversas atividades de grande relevância pública, de que se destacou a apresentação do novo centro Fraunhofer em Portugal, a inauguração do novo espaço de exposições na Reitoria, a sessão solene comemorativa e os eventos “Radical #6” e “ECO@UTAD”.

A sessão solene, no dia 22, dia da fundação da Universidade, encheu por completo a Aula Magna com elevado número de convidados, entre os quais o Comissário Europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, a quem coube proferir a oração de sapiência, após ter, no período da manhã, reunido na UTAD com autarcas e empresários para dar a conhecer as oportunidades do próximo quadro comunitário europeu. Dos momentos mais significativos da sessão solene, é de referir a atribuição de diversas distinções, com relevo para os prémios de mérito a antigos alunos com carreiras profissionais de grande sucesso.

Na sessão, começou por usar a palavra o reitor, Fontainhas Fernandes, que sublinhou o papel da investigação e inovação no crescimento económico da região e do país, um contexto em que a UTAD está fortemente empenhada “no sentido de atrair mais empresas para a região” e dessa forma “atenuar um grave problema nacional presente nas reconhecidas assimetrias regionais em termos demográficos”. O reitor reconheceu ainda, na nova trajetória da Universidade, o papel dos antigos alunos (Alumni), que “têm sido um pilar fundamental de estímulo”. “O dia da Universidade é também uma data simbólica de homenagem a todos os que contribuíram para o lugar de sucesso que tanto nos orgulha ao longo de 45 anos”, afirmou. Seguiu-se nas intervenções protocolares, o Presidente da Associação Académica, José Pinheiro, que traçou algumas das preocupações dos estudantes, reforçando o desejo de “colocar a sua voz no epicentro da Academia” como forma de a Universidade ser sempre um “espaço de democracia, transparência e pluralidade”.

Na oração de sapiência, Carlos Moedas falou das transformações que vão acontecendo por toda a Europa, transformações no modo do conhecimento, nas instituições e na sociedade civil. Deu especial ênfase ao papel das universidades e à necessidade de se “transformarem por dentro”, e, neste capítulo, destacou a missão da UTAD com o seu plano estratégico, apostado em torná-la “mais coesa, mais colaborativa, mais conotada e mais competitiva”.

Na mesma sintonia, o Presidente do Conselho-Geral, Silva Peneda, a encerrar a sessão, enalteceu a cultura de trabalho que na UTAD vem fomentando a constituição de interfaces em redes adequadas a nível europeu e mundial, atraindo massa crítica, numa afirmação de qualidade e de credibilidade.