[Imprimir]

A UTAD recebeu a 24 de janeiro o seminário “Desafios computacionais para a investigação das alterações climáticas” onde foi debatido o impacto da inteligência artificial e da computação humana na investigação e combate às alterações climáticas.

O seminário juntou investigadores, docentes e estudantes da UTAD e contou com a presença do Professor Jeffrey Bigham do Human Computer Interaction Institute at Carnegie Mellon University e da Professora Adriana Vivacqua da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

A sessão de abertura foi presidida pelo Professor Artur Cristovão, Vice-Reitor da UTAD para a área do Planeamento e Internacionalização. Seguiu-se um painel intitulado “Iniciativas e Oportunidades” onde foi apresentado o Programa CMU Portugal e trocadas experiências entre os participantes nas diversas iniciativas deste programa, partilhando vivências das mobilidades ocorridas entre a UTAD e Carnegie Mellon University em Pittsburgh, Estados Unidos da América.

No período da tarde decorreram os painéis “Computação Humana e Alterações Climáticas – conclusões e exploração dos resultados do projeto eCSAAP” e “Investigação em Alterações Climáticas: direções futuras”. Os painéis contaram com curtas comunicações dos investigadores, dando a conhecer o atual estado da arte e os avanços que se têm conseguido com os vários projetos de investigação em curso, em particular o projeto exploratório “Crowdsourcing especializado para anotação semântica de fenómenos atmosféricos – eCSAAP”, realizado em consórcio entre o INESC TEC, o Instituto Dom Luiz e a Carnegie Mellon University ao abrigo do programa CMU Portugal.

Foi ainda dado destaque ao projeto “Fluxos de cooperação entre especialistas e cidadãos para a anotação semântica de fenómenos atmosféricos extremos usando computação humana”, uma parceria entre a UTAD e a Universidade Federal do Rio de Janeiro, financiada ao abrigo do memorando de entendimento entre a FAPERJ e a FCT, que decorrerá durante o ano de 2020.