[Imprimir]

Ana Filipa Gomes, estudante de Mestrado em Engenharia Alimentar, está a realizar um estudo sobre a avaliação do desperdício alimentar das refeições servidas nos serviços de internamento de medicina, pediatria, oncologia e ortopedia de um centro hospitalar da região norte do país.

Os dados recolhidos neste estudo irão ser integrados numa dissertação de mestrado orientada pelas docentes da UTAD Cristina Saraiva, do Departamento em Ciências Veterinárias, e Carla Gonçalves, Diretora de Curso de Ciências de Nutrição, que consideram que “os dados obtidos com este estudo poderão vir a ser utilizados para a implementação de medidas efetivas de medição e de controlo do desperdício alimentar e da qualidade das refeições servidas”.

A maioria das instituições “desconhece a magnitude do desperdício alimentar que produzem”, sendo este um dos “fatores de risco associados à desnutrição e à (in)segurança alimentar em unidades hospitalares”, acrescentam as orientadoras do estudo.

Neste momento, os dados preliminares do estudo apontam que o desperdício alimentar é, em média, de 56,4%, apenas do prato servido na ao almoço, valor “considerável, já que o desperdício alimentar tem impactos económicos, sociais, ambientais e clínicos”.

Uma segunda componente deste estudo será a avaliação microbiológica e nutricional das refeições servidas aos doentes hospitalizados, nos diferentes serviços, com o objetivo de determinar a segurança e qualidade nutricional.

As investigadoras esperam que os dados desta investigação venham a auxiliar o desenvolvimento de medidas com vista “à promoção de dietas hospitalares em qualidade e quantidade adequadas ao combate da desnutrição hospitalar​”.

Créditos da Foto: Dan Gold (unsplash.com)