[Imprimir]

Luzia Oca, antropóloga e docente do Departamento de Economia, Sociologia e Gestão da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) vai assumir os destinos da AGANTRO, associação de profissionais da antropologia. A eleição decorreu a a 23 de abril de 2021, durante a Assembleia de Associados, tendo sido eleita “por unanimidade”.

O mandato terá uma duração de dois anos e a nova presidente pretende continuar o “bom fazer da antropologia e dos antropólogos em todos os âmbitos sociais, especialmente naqueles contextos de recuperação social coletiva em tempos de pandemia e pós-pandemia da COVID-19”.

A AGANTRO é uma associação de profissionais da antropologia que foi criada em 29 de junho de 1993, em Santiago de Compostela, Espanha, e conta com cerca de 100 associados.

Luzia Oca é licenciada em Sociologia pela Universidade Complutense de Madrid e doutora em antropologia pela Universidade de Santiago de Compostela, especialista em questões de género e migrações. Como docente está ligada aos cursos de Serviço Social da UTAD e tem desenvolvido trabalho de campo antropológico em Cabo Verde, Galiza, Portugal e Guiné Bissau.​