[Imprimir]

Anabela Branco de Oliveira, docente da UTAD, apresentou publicamente a 27 de maio de 2021 o livro Federico Fellini: a inevitabilidade da arte. Realizada na aula magna da UTAD, testa apresentação teve dois momentos, uma performance Fragmentos para Fellini, encenado por Luísa Pinto e apresentada pelos estudantes do 1º ano da licenciatura em Teatro e Artes Performativas, no âmbito da Unidade Curricular de Corpo e Movimento; e o segundo a apresentação do livro feita por Artur Cristóvão, docente da UTAD e dinamizador do Grupo de Missão Cultura da UTAD, e pela autora.

“As criações de Fellini projetam a flexibilidade do objeto estético e a omnipotência da criação cinematográfica” onde “a arte é espontânea, vital, carnal e intrínseca”, explica a autora, que apresenta ainda oito motivos e meio para a escrita deste livro relacionados com obra do realizador, mas também com as suas atividades como docente e vida pessoal.

A autora espera com este livro estimular a “curiosidade”, nomeadamente nos “mais jovens”, pela obra de Fellini onde a “arte torna-se espaço, tempo e personagem. Corpos e rostos são pedaços anatómicos que, na construção do discurso fílmico, definem um percurso identitário e são inevitáveis na sua essência artística”.

O livro foi editado pela DebatEvolution e a capa criada por Felipe Muanis.

Breve nota biográfica

Anabela Branco Dinis Oliveira tem Doutoramento em Literatura Comparada, sobre a presença do cinema na literatura, pela UTAD. Docente de várias unidades curriculares de Cinema e Literatura; Estudos Interartes, Cinema e Pintura; Cinema e Documentário; Cinema Português; Som, Imagem e Narrativa Audiovisual; Estética e Análise Audiovisual em licenciaturas e mestrados; é Diretora do RIOS – Festival Internacional de Cinema Documental e Transmedia: 2012, 2013, 2015 e 2018; tem presença assídua em júris de Festivais de cinema.