[Imprimir]

A Semana de Integração dos Novos Estudantes 2021/2022 teve o seu ponto alto, no dia 6 de outubro, na Aula Magna da UTAD, com uma sessão de boas-vindas que a encheu completamente, tendo como convidado especial o cantor Pedro Abrunhosa.

O reitor, Emídio Gomes, começou por se dirigir aos novos estudantes desafiando-os a encarar com optimismo o retomar de uma certa normalidade, após dezoito meses em que “a noção do tempo mudou, em que perdemos rotinas e ganhámos outras que não queremos manter”. 

Esta sessão, tendo como convidado uma figura que “para além de um cantor prestigiado a nível nacional e internacional”, é também “um magnífico comunicador”, pretendeu, segundo Emídio Gomes, “estimular a nossa academia, alunos e professores, a voltarem a um tempo de desafio, a um tempo de uma certa normalidade no presente e no futuro”.

Na sessão usou também da palavra a presidente da AAUTAD, Maria Ferreira. Dirigindo-se aos novos estudantes, enalteceu “a marca UTAD como jardim de oportunidades” e felicitou-os por terem escolhido “aquela que é a melhor academia do país”.

Pedro Abrunhosa, orador convidado, confessou a emoção que sentiu ao ver a Aula Magna repleta de estudantes, após os 18 meses de pandemia, e quis marcar esse momento como o da “expulsão da dor social” que se caracterizou pelos longos meses de confinamento. E lembrou que “a arte e a cultura são um veículo de expulsão dessa dor social”. 

Falou também de liberdade, de cultura, de ética e de política. Recorreu a exemplos da natureza para fundamentar a noção de cultura. “Onde há a mão do homem, há cultura (…) Uma pereira é natureza, mas quando é enxertada pelo homem, já é cultura”, afirmou. E teve ainda ensejo de recorrer à mitologia grega para justificar, com um razoável somatório de exemplos, a fundação da humanidade. Por fim, ao piano, encantou a assistência com a interpretação de várias canções.