[Imprimir]

O investigador do Centro de Estudos de Letras da UTAD, Carlos Nogueira, acaba de ser contemplado com o Prémio Vergílio Ferreira 2022, na categoria de ensaio, com o seu trabalho intitulado “José Saramago: a Literatura e o Mal”. Este prémio, instituído pela Câmara Municipal de Gouveia, pretende homenagear o escritor Vergílio Ferreira, bem como como incentivar a produção literária, contribuindo desta forma para a defesa e enriquecimento da língua portuguesa.

Carlos Nogueira, enquanto investigador, tem centrado o seu trabalho ensaístico especialmente nas relações entre a Literatura, a Filosofia, a Política e o Direito. Nos últimos anos, tem-se especializado no estudo e na divulgação da obra e do pensamento de José Saramago. Tem publicado livros de ensaio em editoras como a Fundação Calouste Gulbenkian, a Imprensa Nacional – Casa da Moeda, a Porto Editora, as Edições Europa-América, as Edições Lusitânia, a Livraria Lello e a Tinta-da-China. Recebeu o Prémio Santander de Internacionalização da Produção Científica da FCSH / Universidade Nova de Lisboa, o Prémio Montepio de Ensaio e o Prémio de Ensaio Jacinto do Prado Coelho.

De referir que o júri do prémio foi constituído por Alípio de Melo (representante do Município de Gouveia), José Manuel Mendes (Associação Portuguesa de Escritores) e Manuel Frias Martins (Associação Portuguesa de Críticos Literários). Para além do reconhecimento do autor e da obra literária vencedora, o prémio terá um valor pecuniário de cinco mil euros e será entregue ao autor em cerimónia pública em agosto de 2022.