[Imprimir]

Pela primeira vez, Violante Saramago Matos visitou a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), a propósito da apresentação do seu mais recente livro “De Memórias nos Fazemos”.

“Foi um gosto enorme quando soube que a UTAD tinha criado a Cátedra José Saramago. É sempre muito significativo quando uma universidade cria uma Cátedra com o nome do nosso pai. É algo que fica, que marca e que não se esquece”, sublinhou.

Já o reitor Emídio Gomes considerou a presença da escritora e filha do Nobel da Literatura como “um ato de grande generosidade”. “Esperamos que o que nós fizemos e continuamos a fazer, no âmbito da Cátedra, tenha uma dignidade própria e uma exigência à altura do seu pai.

Editado em março, De Memórias nos Fazemos” é, sobretudo, a forma que Violante Saramago Matos encontrou de “celebrar, recordar e trazer o pai para uma escala humana”. Para o reitor da UTAD, este livro é a prova viva de que “nunca ninguém morre enquanto nos lembramos e celebramos a pessoa que foi José Saramago”.

A apresentação da obra ficou a cargo de Carlos Nogueira, responsável pela Cátedra, que frisou que “a UTAD é agora uma das casas de Saramago, esse escritor infinito”. “Composto por 47 textos, este livro apresenta uma escrita despojada, enxuta, intimista, mas sem ser melodramática. É um livro que celebra o Saramago pela obra que construiu”, acrescentou.

Durante a sessão, Violante Saramago Matos deixou uma lição para professores e alunos que se reuniram no átrio da reitoria: “é preciso aprender a saber como educar”. Orgulhosa das suas raízes familiares – filha de um serralheiro civil que se tornou no único escritor português galardoado com o Nobel da Literatura e de uma dactilógrafa da CP que viria a ser distinguida com o Prémio Europeu das Artes -, Violante Saramago Matos mostrou-se grata pela forma como os progenitores a educaram. “Não há cursos para pai e para mãe, mas a forma como eles corrigiam os meus disparates é que me marcou. Por isso, eu não fiz um esforço adicional para escrever este livro.”

Aos 74 anos, Violante Saramago Matos evocou, ainda, alguns dos episódios biográficos que constam do livro para evidenciar os valores e os princípios que herdou. “Eu tive uma infância e juventude de excelência, quer do ponto de vista da educação, quer do ponto de vista dos afetos”, concluiu.

 

Texto: Patrícia Posse