[Imprimir]

Portefólios colaborativos para a promoção do pensamento crítico e da autonomia na aprendizagem, SCORE – Sistema complementar de apoio ao ensino e “Simplifying Control Engineering Practice with the Pocket-Sized Temperature Control Laboratory (TCLab)” vão receber o “Incentivo a Projetos de Inovação Pedagógica”, uma iniciativa pioneira da Pró-Reitoria para a Inovação Pedagógica.

“Este concurso permitiu selecionar projetos propostos pelos docentes, que vão agora receber um incentivo financeiro para a sua implementação. O júri que avaliou os projetos candidatados inclui maioritariamente especialistas de outras instituições de Ensino Superior e uma estudante indicada pela Associação de Estudantes da UTAD, porque entendemos que é muito importante envolver os estudantes nestas iniciativas”, refere o Pró-Reitor José Paulo Cravino.

Liderado pela professora Helena Santos Silva, o projeto “Portefólios colaborativos para a promoção do pensamento crítico e da autonomia na aprendizagem” vai arrancar no próximo semestre e estender-se-á até ao final do primeiro semestre do próximo ano letivo.

“Graças a este prémio, será possível obter informação mais criteriosa que permita sustentar cientificamente os efeitos deste modelo de intervenção pedagógica. É também uma oportunidade para as quatro docentes envolvidas poderem aprofundar e sistematizar a sua reflexão sobre as práticas desenvolvidas numa perspetiva de desenvolvimento profissional e de adequação aos diferentes contextos disciplinares”, refere.

Este projeto vai ser implementado em quatro Unidades Curriculares (UCs) de diferentes áreas científicas, envolvendo cerca de 180 estudantes e as docentes Helena Santos Silva, Eva Morais, Felicidade Morais e Caroline Dominguez. Por isso, esta distinção é sentida como “um incentivo para continuar o nosso esforço em prol de um perfil de aluno em que são centrais as competências de pensamento crítico, criativo, de metacognição e de cooperação, com o objetivo que se construam como cidadãos participativos, responsáveis e de livre pensamento”.

Apostado no desenvolvimento de um programa para colmatar as dificuldades sentidas pelos alunos, sobretudo os que frequentam o primeiro ano do Ensino Superior, em acompanhar as atividades letivas de UCs que incluem conteúdos mais exigentes ou menos atrativos, o projeto “SCORE – Sistema Complementar de Apoio ao Ensino” é outro dos contemplados com o “Incentivo a Projetos de Inovação Pedagógica”.

“Recebemos esta distinção com grande satisfação, uma vez que vem reconhecer a potencialidade de soluções inovadoras como o SCORE como caminho prioritário para a evolução a nível pedagógico. Além de reforçar a consciencialização do mérito e potencial desta solução no seio da UTAD, irá permitir que este projeto atinja um alcance internacional”, sustenta Tiago Pinto, docente do Departamento de Engenharias.

O SCORE pretende disponibilizar um jogo simples e intuitivo, que decorre durante toda a duração do semestre da UC lecionada. Para obterem a melhor classificação no jogo, os estudantes terão de submeter, semanalmente, as respostas a um conjunto de exercícios que estão alinhados com os conteúdos lecionados. “Desta forma, espera-se que os alunos se sintam mais motivados a acompanhar a matéria de forma contínua, vendo resultados imediatos na sua classificação no jogo e sendo recompensados pela regularidade no final do semestre”, explica.

A solução SCORE será aplicada já no início do próximo semestre, abrangendo entre 160 a 200 alunos da mesma UC.

Também Paulo Moura Oliveira, docente do Departamento de Engenharias, viu o projeto “Simplifying Control Engineering Practice with the Pocket-Sized Temperature Control Laboratory (TCLab)” ser distinguido com o “Incentivo a Projetos de Inovação Pedagógica”. “Para além do financiamento que potencia a continuação da execução do projeto, esta seleção premeia de certa forma o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido nos últimos anos”, reage.

O ensino e aprendizagem de controlo automático implica uma forte componente de experimentação prática em contexto laboratorial. Contudo, o número de aulas práticas de UCs de introdução aos sistemas de controlo nem sempre é suficiente para que os alunos possam consolidar a sua aprendizagem (o custo elevado dos equipamentos laboratoriais específicos, utilização intensiva dos laboratórios, falta de pessoal técnico de apoio aos laboratórios, horas de funcionamento da instituição, etc.).

“Por isso, laboratórios portáteis com pequenas dimensões, de baixo custo e simples utilização em qualquer lugar são altamente desejáveis. Este é o caso do Temperature Control Laboratory (TCLab), um equipamento que já foi utilizado com sucesso no contexto de experiências de ensino-aprendizagem de controlo automático antes e durante a pandemia do Covid-19”, lembra Paulo Moura Oliveira.

Agora, procurar-se-á consolidar os processos de ensino e de aprendizagem de forma a diminuir o tempo entre a introdução de conceitos nas aulas teóricas e a validação prática dos mesmos usando o TCLab. “Ambiciona-se motivar os alunos de forma a promover a utilização da sua componente individual de estudo na realização de experiências práticas de controlo”, conclui.

O “Incentivo a Projetos de Inovação Pedagógica” prevê a atribuição de dois mil euros a cada projeto. Após a sua conclusão, os projetos selecionados apresentarão os resultados à comunidade académica.

 

Texto: Patrícia Posse