[Imprimir]

A UTAD foi palco, no dia 28 de novembro, da primeira sessão do Congresso Internacional “A viagem de Fernão de Magalhães. Diálogos Interculturais, Científicos e Intertextualidades”, que teve continuidade no dia seguinte no espaço Miguel Torga, em S. Martinho de Anta (Sabrosa). A organização coube à UTAD, em conjunto com a Câmara Municipal de Sabrosa e a Estrutura de Missão do V Centenário da Primeira Viagem de Circum-Navegação.

Na sessão de abertura, que decorreu no auditório 1.10 da Escola de Ciências Humanas e Sociais (ECHS), interveio, em representação do Reitor, a Pró-Reitora Cristina Saraiva. Usaram também da palavra a coordenadora do DLAC, Susana Fontes, e em representação da organização, Natália Amarante. O diretor do Centro de Estudos de Letras (CEL) da UTAD, Gonçalo Fernandes, aproveitou a presença dos alunos na assistência para exortá-los a conhecerem e a estudarem a figura e obra de Magalhães. “Deverão sentir orgulho de ser portugueses, em primeiro lugar, e também de poder estar aqui a compartilhar este momento”, afirmou. Por sua vez, José Marques, coordenador da Estrutura de Missão do V Centenário da Primeira Viagem de Circum-Navegação, lembrou como a expedição de Magalhães, que “se tornou um marco indelével na história da humanidade, não aconteceu por acaso, envolveu valorização do conhecimento, inovação, investigação, tecnologia, ciência náutica”.  

Os trabalhos prosseguiram com a homenagem a um dos maiores historiadores da vida e obra de Magalhães, recentemente falecido: Juan Marchena Fernández, que foi coordenador da Rede Mundial de Universidades Magalhânicas. Seguiram-se várias intervenções de especialistas de universidades e centros de investigação portugueses e espanhóis, que abordaram temáticas distintas relacionadas com a epopeia magalhânica, desde o seu papel na primeira globalização, aos relatos históricos e imaginados na narrativa disseminada pelo mundo, incluindo o testemunho vivo deixado pelo geógrafo marinheiro António Pigafetta, entre outras intervenções e reflexões, com lugar ainda para a representação “Magalhães ou eu tenho um sonho” dos alunos do 2º ano do Curso de Teatro e Artes Performativas da UTAD. 

No segundo dia dos trabalhos, agora no Espaço Miguel Torga, os participantes foram recebidos pela presidente da Câmara Municipal de Sabrosa, Helena Lapa, e puderam acompanhar novas reflexões, sobressaindo as temáticas sobre a morte e a imortalidade de Magalhães e também sobre o choque entre impérios gerado pela viagem do Navegador, terminando com a visita à exposição “Os locais e cultuas da Viagem de Fernão de Magalhães” que incluiu a apresentação oficial do Percurso Pedestre Rota Urbana de Fernão de Magalhães.